Feliz cabelo novo

Eu sou de ciclos. Ou estou deixando o cabelo crescer, ou estou querendo cortar. Não tem essa de manter o corte. Muita gente tem como marca registrada as madeixas enormes, ou o curtinho moderno, e vai mantendo aquele look que funciona. Eu entendo o raciocínio, "em time que está ganhando não se mexe", mas eu gosto de mudar e, principalmente, de poder mudar (razão número um porque eu nunca usei química no cabelo).



Quando eu decidi cortar o cabelo, já sabia quando e onde: na minha próxima viagem a Curitiba, no Hair Factory Beauty Center, o único salão (que eu saiba) especializado em cachos no Paraná. (Se você conhece outro, por favor me conta!). O Charles foi o responsável pelo meu corte anterior, e ficou tão maravilhoso que eu nunca mais mexi (eu costumava cortar o meu cabelo em casa). Outros amigos cacheados já cortaram com ele, ninguém se decepcionou.

É assim, você fala o que quer (cortar tudo? manter o comprimento? mais volume? mais cachos?), ele sente o seu cabelo e ali já sabe como está a saúde dos fios, o que precisa cortar, o que dá pra fazer pra chegar onde você quer. O corte em si é muito rápido, algo meio Edward Mãos de Tesoura, que, de uma forma muito incrível, dá muito certo no final. Depois você fica aos cuidados das assistentes, que fazem a finalização do cabelo. Todo mundo ali é bastante solícito para ensinar e tirar dúvidas sobre como tratar os cachos no dia-a-dia.


Eu já estava determinada a cortar muito o cabelo. Quando vi na página do salão as publicações sobre o corte para doação, tive certeza que faria isso. É importante informar imediatamente o cabeleireiro que você pretende doar os fios para que ele não realize nenhum procedimento que impeça a doação. Informe-se no local onde você vai doar sobre qual o tamanho mínimo das mechas que eles aceitam.

O resultado é o cabelo mais curto que eu já tive. Um corte muito moderno, com franja. O cabelo está sempre pronto a qualquer hora do dia, se dá bem com acessórios, dá pra prender, mas só é necessário quando precisa tirar o cabelo do rosto. O único revés é que fica muito, muito horrível quando está sujo. Não dá pra disfarçar (turbante nesse calor nem pensar). O jeito é água, mesmo. Mas no verão  do Iguaçu quem precisa de desculpa pra entrar debaixo do chuveiro?

0 comentários: