Biblioteca Mucelini: as regras da casa

Não sei se você sabe, mas a minha biblioteca é aberta a empréstimos (e doações também!). São centenas de volumes no acervo que você pode consultar neste link, que está sempre atualizado (o acervo atual na tag Tenho, as sugestões de presente em Desejados 😉). Também pode conferir a planilha do acervo atual e da "biblioteca futura". Estas são as regras para quem quiser levar um livro emprestado:


Seja gentil com os livros. Eu não sou muito obcecada com o estado dos livros - um livro de dois anos não precisa parecer novo. Na verdade, acho até que um livro não pode parecer novo, porque se parece, não foi lido o suficiente - e não é para isso que os livros servem? Mas não vamos exagerar. É bom tratar os livros com carinho, e aqui vão alguns cuidados básicos: não dobrar as páginas, não molhar, não rasgar, não manusear com as mãos sujas. Não use a capa do livro como apoio para escrever, porque isso marca a capa do livro.

Não tem prazo para devolução, porque nem todo mundo lê na mesma velocidade. Mas eu espero que você tenha bom senso. De vez em quando vou perguntar sobre o livro e depois de um tempo posso pedir de volta. É importante que você saiba que um livro que você não está lendo poderia estar com outra pessoa. Não vai conseguir ler agora? Então é melhor devolver e pegar de novo outro dia. Para pegar mais livros, é preciso devolver os que estão com você.

Pode fazer anotações a lápis. Eu gosto de ler com um lápis à mão. Acho que anotações enriquecem o livro. A gente nunca sabe quando alguém vai ficar famoso e transformar um livro de 50 reais em um bem de valor inestimável, não é mesmo? Pode ser uma informação extra, o significado de uma palavra difícil, a sua opinião sobre determinada frase ou parágrafo ou mesmo um destaque, sublinhando trechos, contornando parágrafos, marcando com estrelinhas, corações... Mas atenção: anotações a lápis. A LÁPIS. Não use caneta, canetinha, marcador de texto, lápis de cor, somente grafite.

Não empreste o meu livro. Empreste os seus. Se quiser que outra pessoa leia o livro que você pegou emprestado, devolva e deixe que ela pegue emprestado comigo. Aliás, esse é um bom momento para dizer que eu não sou obrigada a emprestar livro nenhum. A minha biblioteca é particular, eu tenho o maior prazer em emprestar, mas também todo o direito de me recusar a fazê-lo.

As regras da biblioteca são bastante flexíveis - muito mais permissivas que na maioria das bibliotecas que estão por aí. Para ser tão boazinha, eu preciso de sanções bastante rígidas. Isso significa que quem descumpre as regras perde o acesso à biblioteca. Acidentes podem ser perdoados, no entanto não adianta disfarçar desleixo com acidente. Eu sei a diferença. Perdões podem ser negociados com a genuína expressão de arrependimento, especialmente se tiver o formato de livros novos.

Quer um livro emprestado?

0 comentários: