Quem tem medo de livro grande?

Por que as pessoas não leem livros grandes? Bom, a maioria das pessoas não lê nem mesmo os pequenos, segundo apontam as pesquisas que são feitas todos os anos. Pra quem nunca lê, deve dar uma preguiça enorme só de olhar pro calhamaço. Até pra quem lê dá uma preguiça, não é não?


O fato é que dá medo de começar a ler um livro enorme e depois não gostar, ou só lá no final descobrir que a história não vai pra lugar nenhum e aquilo tudo foi uma grande perda de tempo. Por isso mesmo que eu vim indicar livros grandes, livros que eu já li e gostei, de ficção ou não. 

Defini arbitrariamente que livros grandes são aqueles com mais de quinhentas páginas. Eles estão divididos por tamanho, em centenas de páginas, depois em milhares (sim, você leu certo!).

Divirta-se!


A Guerra dos Tronos George R. R. Martin O primeiro livro das Crônicas de Gelo e Fogo deu o seu nome à série e apresenta aos leitores os sete reinos e a muralha, com suas famílias e seus personagens. Acompanhamos a jornada dos Stark até Porto Real, onde o patriarca ocupará o cargo de Mão do Rei, um posto poderosíssimo. Cada capítulo é narrado segundo a perspectiva de um personagem diferente, o que deixa a dinâmica do livro bem interessante. Esse é o menor dos livros já lançados da série, mas não se preocupe. Quando terminar o primeiro, a vontade para ler o próximo estará lá.

A Casa das Sete Mulheres Leticia Wierzchowski O livro em que se baseou a minissérie da Globo contém muito mais história do que a tela mostrou (lógico). Pra quem não lembra ou não assistiu, a história se passa no Rio Grande do Sul, inicia-se pouco antes da Guerra dos Farrapos e acompanha toda a batalha, narrando a história da família de Bento Gonçalves: os homens que foram à guerra e as mulheres que ficaram a esperar.

Microtendências Mark J. Penn O autor trabalha há muitos anos com pesquisas de opinião e explora o poder das mudanças tênues, que ele chama de microtendências. Microtendência é qualquer fenômeno que envolve uma porcentagem pequena de uma população grande - por exemplo, 1% do mundo, um número que parece pequeno suficiente para passar despercebido, mas que é grande o bastante para influenciar e refletir mudanças que a gente nem percebeu e de repente aconteceram. 

O caminho do meio Lou Marinoff Coxinhas ou mortadelas? Para enfatizar a importância do equilíbrio, o filósofo Lou Marinoff explora os extremos políticos, religiosos, econômicos, morais, comprotamentais... Com a ajuda de Aristóteles, Buda e Confúcio, o ABC do equilíbrio, o filósofo mostra como os conflitos entre extremos estão bagunçando o mundo e o que a gente pode fazer para, se não parar essa confusão, ao menos não tomar parte nisso.

Os três mosqueteiros Alexandre Dumas Eu já recomendei uma vez esse livro por aqui, mas não custa recomendar de novo. Aliás, recomendo sempre. A história dos quatro heróis é divertida, instigante, misteriosa, dinâmica, enfim, contém todos os condimentos que se espera encontrar em um bom romance, na medida certa para fazer com que as páginas sejam devoradas pelos olhos em velocidade surpreendente.

As Crônicas de Nárnia C. S. Lewis Separadamente, cada uma das crônicas é bastante curta, mas a edição que reúne todos os textos em um único volume acabou vendendo mais no Brasil. As crônicas fazem alegorias com o cristianismo, e por isso são muito conhecidas neste público, mas não deixam de ser uma boa história fantástica para quem aprecia o gênero. "O cavalo e seu menino" é a minha favorita.

Origens do totalitarismo Hannah Arendt Um clássico da ciência política que traz formidável análise dos movimentos totalitários do século XX (nazismo e stalinismo). A autora começa explorando o crescimento do antissemitismo na Europa no século XIX, passando a analisar o imperialismo tardio europeu com as colônias do fim dos anos 1800 até a Primeira Guerra Mundial, para então abordar os movimentos totalitários e como os dois primeiros fenômenos culminaram no autoritarismo destes regimes, analisando os mecanismos de dominação e permanência dos regimes totalitários.

O Conde de Monte Cristo Alexandre Dumas A maior história de vingança já contada (literalmente? não sei dizer). Três homens se reúnem para arruinar a vida de um francês, cada um com seu motivo particular: dinheiro, amor, inveja. No dia em que comemora o seu noivado, Édmond Dantes é preso e exilado para sempre em uma fortaleza, sob a acusação de um crime que não cometeu. A história se concentra no preso enquanto os anos passam, até que ele consegue dar início à sua grande fuga e sua vingança contra cada um dos seus malfeitores. Imperdível.

Dom Quixote Miguel de Cervantes A história cômica do cavaleiro andante vai muito além do seu encontro com os moinhos/gigantes, que não é, nem de longe, a sua aventura mais engraçada. O enredo cômico narra também algumas histórias menores, que não fazem parte da trama, mas também divertem. Com princesas falsas, castelos imaginários e vilões inventados, seguimos as aventuras de um louco que, de tanto ler livros de cavalaria, fez-se cavaleiro da sua própria ordem, lutando contra as injustiças que aparecem em seu caminho.

Guerra e Paz Liev Tolstoi "Uma das obras mais volumosas da literatura universal", é assim que o livro é apresentado na Wikipedia. Mas a gente não tem medo de livro grande, certo? Esse é o único da lista que ainda não li inteiro - parei na metade para recuperar o fôlego. A divisão em quatro tomos ajuda, assim não é necessário ler toda a história de uma vez, não que não seja possível. Imagina ler todos os volumes das Crônicas de Gelo e Fogo seguidamente. Tem gente que consegue. Eu gosto de variar, arejar a mente.
Enfim, de que trata a história? Imagine uma novela de televisão, com diversos personagens, vários núcleos e histórias paralelas a uma trama principal. A trama principal é a campanha de Napoleão Bonaparte na Rússia, sob a perspectiva russa. As tramas secundárias seguem os personagens da sociedade russa: soldados, condes, príncipes, senhoras e mocinhas. No período de sete anos, Napoleão e a Rússia viveram entre tapas e beijos, ora inimigos, ora aliados, e desses períodos de guerra e paz a obra extrai seu título.

0 comentários: