Hobbies para quem não se preocupa com dinheiro

No ano passado eu fui de férias para Gramado. Além do frio, do chocolate e da comida boa (ótima!), há vários passeios na região para entreter os turistas. Um dos passeios que eu mais gostei foi na Vinícola Ravanello. Passamos por todos os processos de produção, o terroir onde estão os vinhedos, o interior da vinícola onde as uvas são prensadas e o vinho é armazenado, combinando o cuidado manual, a manutenção das tradições e o investimento em alta tecnologia. 

A visita é guiada pelo sommelier da casa, pronto para responder todo tipo de perguntas e compartilhar um mundo de informações. Ao final, chegamos à loja própria, o único local onde a produção local é comercializada. Mas por quê? Porque tudo isso é um hobby do proprietário, (pausa para refletir nas palavras que você acabou de ler) que não tem intenções de produzir para abastecer os mercados, mas simplesmente fabricar produtos de alta qualidade e ficar feliz com a sua produção, enfim, fazer o que ele gosta pelo simples prazer de fazer. (outra pausa reflexiva porque precisamos)

É bom ter dinheiro, não é, gente?


Desde que eu saí daquele lugar - que é lindo e está disponível para eventos, não é jabá, eu apenas gostei muito dali - eu fiquei pensando o que eu faria com o meu tempo livre se eu tivesse tempo e dinheiro sobrando nessa vida. 

Não é todo mundo que tem condições de bancar uma vinícola, mas nos últimos tempos a cervejaria artesanal se tornou um hobby bastante comum, né? Também conheço algumas pessoas que reformam carros antigos, e até fazem coleção. Mas eu não tenho nenhuma paixão especial por bebidas alcoólicas, nem por carros antigos.

Acho interessante a ideia de construir, reformar e decorar casas charmosas em diferentes cidades turísticas pelo mundo. Eu poderia mudar de uma casa para outra de tempos em tempos, enquanto as outras são alugadas para os turistas. Todo aquele folhear pelas revistas de decoração nas bancas finalmente encontraria um propósito.

Sabe o que seria legal? Ter uma pousada bem exclusiva, para receber apenas casais. Imagina uma Monica Geller com as paixões da Lorelai! Seria um lugar um pouco afastado da civilização, mas não importa. A ideia é que as pessoas não sintam vontade de sair dali. Edredons fofinhos e cheirosos, comida de vó, banheiras quentinhas, jardins deslumbrantes que podem ser vistos pelas janelas da biblioteca... um lugar para recarregar as energias. (Precisando de um lugar assim...).

Se eu pudesse fazer qualquer coisa, desengavetaria aquele projeto de editora que fiz há muitos anos com a melhor amiga. Faria as edições mais lindas de todos esses livros que ainda não ganharam uma forma física digna da maravilha do seu conteúdo. Compraria os direitos dos livros que nunca foram publicados no Brasil, mas deveriam. Faria visitas guiadas para turistas curiosos mostrando como se faz um livro de alta qualidade. Ao final da visita, eles encontrariam uma loja onde seria possível comprar as nossas publicações, que não estão disponíveis no mercado, muito embora tenham sido presenteadas a algumas bibliotecas pelo país. 

Afinal, é apenas um hobby.

0 comentários: