Jogar fora sem jogar no lixo

Eu estou sempre batendo na tecla do desapego, do destralhamento, do descarte porque a gente tem essa tendência a acumular coisas e não há organização que resista ao excesso de coisas. A gente pode colocar tudo em ordem alfabética, em caixas com etiquetas e catalogadas por cor e data de fabricação, mas se a única função daquele objeto é ocupar espaço, talvez o melhor seja desapegar.

A gente já aprendeu a desapegar de muitas coisas. As roupas que não servem mais vão para alguém que está precisando ou para o bazar da instituição que você apoia, junto com os sapatos que não são mais usados. Os livros e revistas são facilmente revendidos ou doados para a pessoa interessada ou em sebos e bibliotecas. Aquilo que está sobrando na nossa casa pode estar faltando na casa de alguém. Muita coisa encontra novo lar nas vendas e trocas facilitadas pelas redes sociais. Mas nem sempre é asim tão simples.


O que fazer com as meias que ficaram sem par? As tampas de pote? Algumas coisas realmente não têm mais uso. Parece que a única solução é jogar fora, até que a gente se dá conta que fora não existe realmente, porque a gente tira o lixo de casa, mas não tira o lixo do mundo. Existem formas melhores de colocar essas coisas fora de casa.


Meias

As meias velhas, que perderam a elasticidade ou ficaram sem par, meias furadas e manchadas, todas as meias que você não usa mais e estão ocupando espaço na gaveta viram cobertores e meias novas com a campanha Meias do Bem da Puket. Mais de 600mil pares de meias já foram reciclados desde o início da ação. Não precisa ser da marca, qualquer meia pode ser doada nos pontos de doação (encontre um perto de você!).


Remédios

O que você faz com aquele restinho de remédio? Geralmente as medicações vêm na quantidade exata para o tratamento, mas não é incomum que sobre alguma coisa. Eu costumo manter os remédios na caixa até o vencimento - vai que precisa de novo, né? a gente diminui a conta da farmácia - mas depois de vencidos acabava jogando no lixo. O problema é que remédios são componentes químicos resistentes que contaminam o meio ambiente.
Algumas redes de farmácia funcionam como postos de coleta para o descarte correto de medicamentos vencidos, como a Nissei, a Raia e a Panvel. As Unidades Básicas de Saúde também devem fornecer as informações sobre os postos de coleta da sua cidade - se não forem elas mesmas o local adequado para o descarte.

Lâmpadas

Além do perigo de uma lâmpada quebrada no lixo machucar alguém, as lâmpadas podem conter substâncias químicas, como o mercúrio, que contaminam o meio ambiente. A maioria dos pontos de venda também faz a coleta do material após o uso. Em Foz do Iguaçu: Panorama, Enerluz, Instelpa, Ande e Produtel. É aconselhável se informar diretamente com a empresa sobre os horários e condições da coleta.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos é uma lei que obriga os produtores e distribuidores de diversos produtos potencialmente poluentes a fazer a logística reversa - a coleta daquilo que não serve mais para o descarte adequado. A maioria das empresas citadas está cumprindo uma obrigação legal. Seja qual for a intenção, o meio ambiente agradece - e a sua casa já pode ficar livre dessas tralhas.

0 comentários: