Conselhos para quem quer fazer Direito

Alguns sonham com isso há anos, outros decidiram de última hora... mas a empolgação é a mesma. Conforme saem as listas de aprovados, aparecem nas livrarias jovens ansiosos e pais orgulhosos, prontos para começar uma biblioteca jurídica novinha em folha (até descobrir quanto custa cada livro).


Não precisa ser ansioso com as leituras. Em breve você vai ler até saltarem os olhos para fora. Aproveite as férias. Gostar de ler é importante, com certeza, mas não tenha pressa para chegar aos livros jurídicos. Leia por prazer, o quanto puder. Você vai sentir saudades disso.

Você não precisa comprar um Vade Mecum a cada seis meses. Sim, eles são lançados a cada seis meses, com as últimas alterações jurídicas, mas dificilmente elas serão tão relevantes a ponto de ter que comprar a mais nova edição. Além disso, um Vade Mecum velho ocupa muito espaço na estante, não vale nada nos sebos e dificilmente vai servir pra mais alguém. 

A cada três anos é um prazo razoável - isso significa que você pode comprar o primeiro no segundo ano (sim, porque no primeiro nem precisa!), e o segundo no quinto, e assim terá uma edição atualizada para usar na prova da OAB. Espere um a dois meses do lançamento para comprar, vai ser muito mais barato.

Muita calma nessa hora de comprar livros. Espere o semestre começar. O meio jurídico é muito divergente. O autor que o seu amigo indicou pode ser o mais detestado pelo seu professor. Peça a opinião do professor sobre os melhores livros, você não quer uma nota baixa só porque o professor discorda do seu livro.

Você pode discordar do professor, mas antes precisa entender o pensamento dele. Para discordar de qualquer coisa é preciso, antes, conhecer. 

Democracia é um conceito muito interessante, mas não dá nota pra ninguém. Você pode ter suas convicções e se aprofundar nelas, mas não precisa ser um romântico. Há uma grande diferença entre vender as suas ideias e ser pragmático.

Saber a teoria é importante, mas colocar a mão na massa é fundamental. Não se prenda aos livros. Aproveite para fazer estágios. Experimente de tudo. Não despreze nada sem antes conhecer.

A ideia de "fazer Direito" é muito romantizada. Talvez por isso o primeiro ano seja tão difícil. Não idealize demais a justiça, mas não deixe que a faculdade o transforme em um cético. Se você perder a paixão... troque de curso.

0 comentários: