Não se aplica

As pessoas estão sempre se lamentando sobre verdades universais que parecem imutáveis. Situações com as quais a gente tem que se conformar na vida. Quem casa, se afasta dos amigos. Quem faz faculdade, não tem vida social. Quem tem filhos, não sai mais com o marido. As pessoas falam isso como se lamentassem o fato, mas não como quem acha que isso deveria mudar. As coisas estão destinadas a acontecer de um certo jeito. A vida é assim.

Até que aparece alguém pra dizer que não precisa ser assim. Alguém que conseguiu fazer diferente, alguém para mostrar como fazer...  mas estamos tão acostumados com o nosso conformismo que a atitude mais lógica é invalidar toda a experiência do outro. Transformamos histórias que poderiam servir de inspiração em "ponto fora da curva".



Vamos desqualificando aquela experiência inspiradora, para que ela não sirva de inspiração a ninguém. Quem consegue o que eu não consigo tem habilidades sobre-humanas, nasceu pra isso, ou teve muita sorte. É gente especial, é gente diferenciada, privilegiada, e quem sou eu pra me comparar...

Quando começam a aparecer os defeitos, aí sim, vemos que é gente como a gente, pessoas de carne e osso, que foram lá e fizeram acontecer, que é gente que pode inspirar a gente. Certo? Ou pegamos os defeitos e usamos para desvalorizar a inspiração. Como é que uma pessoa dessas pode servir de medida para qualquer pessoa? Essas falhas, ranhuras e imperfeições não servem para nos aproximar, mas para jogar para debaixo do tapete tudo de bom que aquela pessoa construiu. O marco da perfeição se torna um alvo, tudo para não perturbar a paz da nossa zona de conforto.

Há também aqueles que já tentaram alguma vez, ou muitas vezes, ou que tentaram até cansar. Gente que jurou nunca mais tentar de novo, e nesse grupo existe muita gente diferente que acha que é tudo igual: de repente, não existe jeito certo ou jeito errado de tentar - toda tentativa é válida para usar como desculpa para nunca mais tentar de novo.

Também não existe um requisito mínimo - cada um sabe o quanto pode aguentar. Na verdade, se você ouviu falar de alguém que tentou e não conseguiu, é o suficiente. Já pode usar essa história como inspiração. Essa, e não aquela que diz que as coisas podem ser diferentes. Dá muito trabalho.

Quando eu digo que a experiência do outro não se aplica a mim, eu não preciso fazer mais nada. Não preciso mudar nada. Nenhum esforço extra é exigido. É aquela sensação de acordar cedo e lembrar "ah, hoje é feriado! Posso voltar a dormir!". Mas não é feriado. Os prazos estão correndo. Os clientes estão esperando. A vida continua enquanto a gente dorme no conforto da ilusão. Entre um sonho e outro, nos lamentamos e imaginamos um mundo diferente, sem cogitar que quem precisa mudar sou eu.

0 comentários: